Conecte-se conosco

Noticias

Filho de ex-prefeito de Capim Grosso é detido por estuprar jovem bonfinense de 18 anos

Publicado

em

A passagem de ano tão aguardada por todos, com esperança de dias melhores teve sabor amargo para a família de uma jovem bonfinense violentada durante a madrugada deste domingo (31). Envergonhada e muito traumatizada ela pediu que seu nome não fosse divulgado, mas relatou os momentos de terror vividos por ela durante o ato criminoso. O autor do estupro foi identificado como Marcus Rodrigues Machado, 34 anos, filho do ex-prefeito de Capim Grosso Francisco Assis Machado Filho, conhecido como Sissi.

A jovem que havia ido até a cidade de Jacobina para a passagem de ano, estava na Boate Mirante, no bairro da caixa D’Água acompanhada de amigos. A Jovem relatou em depoimento a policia que foi ao banheiro sozinha, ao sair não conseguiu encontrar com seu grupo de amigos, nesse momento viu o autor do delito e foi até ele para perguntar a respeito de um dos seus amigos. Marcus, disse que sabia onde estava um amigo da vítima e a levaria até ele. Por ser conhecido dos amigos dela, se deixou ser conduzida, mas Marcus a enganou, conduzindo-a para o acesso da saída de emergência do estabelecimento, onde foi praticado o abuso. O som alto do local impediu que outras pessoas ouvissem os gritos desesperados por socorro.

Short usado pela jovem

Ao notarem a demora, os amigos começaram a busca pela jovem. Para ampliar a área de busca resolveram se separar. Uma de suas amigas conseguiu encontrá-la, porem somente após o ato. Desesperada, sua amiga partiu pra cima, já que o autor do crime tentou fugir. Com família influente e confiando na impunidade, Marcus deixou o local sorrindo e foi para sua casa, local onde foi detido pela policia horas depois. O curioso é que o autor do estupro mesmo sendo pego em flagrante delito encontra-se detido em uma sala na delegacia de policia ao invés de estar em uma cela isolado como determina a lei. 

O Flagrante delito tem o prazo de 24 horas consoante o 1º do art. 306 do Código de Processo Penal. Tendo o mesmo prazo a entrega do auto de culpa, e caso o preso não indique seu advogado, será comunicada a Defensoria Pública.

Art. 306. (…)

1o Dentro em 24h (vinte e quatro horas) depois da prisão será encaminhado ao juiz competente o auto de prisão em flagrante acompanhado de todas as oitivas colhidas e, caso o autuado não informe o nome de seu advogado, cópia integral para a Defensoria Pública. (sem grifos no original).

Art. 5º (…) LXII – a prisão de qualquer pessoa e o local onde se encontre serão comunicados imediatamente ao juiz competente e à família do preso ou à pessoa por ele indicada;

Após o fato tornar-se publico o clima antes de festa, tomou ares de comoção e as redes sociais explodiram diversas manifestações de apoio a jovem e principalmente para que a justiça fosse feita. Em contra partida pessoas próximas a Marcus espalham nas redes sociais e através de aplicativos de troca de mensagens que a vitima e o agressor seriam namorados e que o fato ocorrido na saída de emergência da boate teria sido apenas “briguinha de namorados“. Mesmo que fossem namorados, casados, noivos… etc. Que direito tem esse homem de praticar um crime hediondo desse? É inadmissível que em pleno ano de 2018 crueldades como essa aconteçam e os culpados saiam rindo acreditando na impunidade. Vai um questionamento aos internautas. Se o acusado pelo crime fosse um negro e pobre, teria ele ficado acomodado em uma cela ou na confortável sala onde o rapaz está?

O Código Penal Brasileiro traz na sessão de crimes contra a liberdade sexual em seu artigo 213, o Crime de Estupro, que consiste em forçar alguém a praticar atos sexuais por ameaça ou violência, e tem como pena prisão de 6 a 10 anos.

  • 1o Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave ou se a vítima é menor de 18 (dezoito) ou maior de 14 (catorze) anos:

Pena – reclusão, de 8 (oito) a 12 (doze) anos.

  • 2o Se da conduta resulta morte:

Pena – reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos

Estupro de vulnerável (Incluído pela Lei nº 12.015, de 2009)

Art. 217-A. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos:

Pena – reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos.

  • 1o Incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas no caput com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência.
  • 3o Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave:

Pena – reclusão, de 10 (dez) a 20 (vinte) anos.

  • 4o Se da conduta resulta morte:

Pena – reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos.

Vale lembrar que o crime de estupro foi considerado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em 2009 como crime hediondo, mesmo sem morte ou grave lesão da vítima.

Continue Lendo
Clique para comentar

Justiça

MPF deve denunciar Wagner por superfaturamento e fraude na licitação da Arena Fonte Nova, diz coluna

Publicado

em

O Ministério Público Federal (MPF) deve oferecer denúncia contra o Senador Jaques Wagner (PT) por superfaturamento e fraude na licitação da Arena Fonte Nova. De acordo com informações apuradas pela coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde, a sinalização foi dada para a equipe da Polícia Federal (PF), responsável pela Operação Cartão Vermelho.

Deflagrada em fevereiro deste ano, a operação investiga irregularidades na contratação dos serviços de demolição, reconstrução e gestão da Fonte Nova. Na ocasião, a residência do ex-governador do Estado e um escritório localizado no Shopping Max Center, no bairro do Itaigara, foram alvo de mandados de busca e apreensão.

Também segundo a publicação, o relatório final com as conclusões do inquérito foi enviado à Procuradoria Regional da República da 1ª Região, em Brasília, em novembro do ano passado. O documento aponta que também foram indiciados o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster; o empresário Carlos Daltro, considerado operador de Wagner no esquema; e o deputado estadual Bobô (PCdoB). 

Na época, o parlamentar era superintendente da Superintendência dos Desportos da Bahia (Sudesb). Sua inclusão entre os alvos das investigações era até então desconhecida. Ainda segundo a Tempo Presente, as conclusões da PF de que houve fraude na licitação foram reforçadas por três laudos feitos durante as apurações. O último destes documentos teria sido conclusivo em apontar o crime.

Parte da delação de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, também foi encaminhada pela superintendência da PF na Bahia ao procurador responsável pelo inquérito da Operação Cartão Vermelho. Em seus depoimentos à PF, Daltro e Dauster teriam ficado calados. Wagner, por sua vez, foi ouvido em duas ocasiões. Na primeira vez argumentou que não havia como haver superfaturamento em uma Parceria Público-Privado (PPP). Contudo, na segunda vez, decidiu não responder aos questionamentos feitos.

bnews

Continue Lendo

Noticias

Operação da Polícia Civil cumpre mandados de prisão em Petrolina

Publicado

em

A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) deflagrou na manhã desta terça-feira (18), a operação “Okia” em Petrolina. Foram cumpridos três mandados de prisão preventiva e 18 mandados de busca e apreensão domiciliar. O objetivo é desarticular uma organização criminosa voltada a prática dos crimes de tráfico de drogas, associação ao tráfico e venda ilegal de arma de fogo.

Cerca de 130 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães trabalham nesta operação. Sob a responsabilidade dos delegados Daniel Moreira, Gregório Ribeiro e Dark Blacker, a investigação começou em julho de 2018 e foi realizada pela 214ª Circunscrição Policial e pela 12ª Delegacia de Polícia de Repressão ao Narcotráfico (DPRN/Denarc), vinculadas à 26ª Delegacia Seccional de Polícia Civil de Petrolina (26ª DESEC).

Os detalhes preliminares da operação serão divulgados logo mais às 10h, no prédio da Diretoria Integrada do Interior (Dinter-2), localizado no 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM).

.

Carlos Britto

Continue Lendo

Jaguarari

Forró na Feira deixou saudades no coração dos Jaguararienses

Publicado

em

No último sábado (15), a Prefeitura de Jaguarari através da Secretaria de Educação, Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, encerrou o projeto Forró na Feira. O projeto foi uma das novidades propostas para este São João e trouxe para os jaguararienses e visitantes o autêntico forró pé de serra. Além de boa musica, comidas e bebidas típicas aconteceram apresentações de dança com quadrilha junina.

A cultura de Jaguarari é isso ai, a cidade enfeitada, o povo alegre, dançando e vivendo o nosso São João. A iniciativa do prefeito Everton Rocha de trazer para o município o Projeto Forró na Feira foi muito bom. Todos que passaram por aqui aprovaram”, finalizou a secretária de educação, Edinea Ferreira.

O evento ficou marcado como uma das grandes novidades de 2019, proporcionando interação dos artistas da terra com o público, durante as apresentações a cada sábado.

Durante as apresentações populares parabenizaram o governo pela iniciativa, “O forró na feira foi um grande atrativo para o são João. Muita gente veio pra curtir esse forrozinho e tomaram cerveja, comeram alguma coisa e dessa forma movimentou a economia local. Agora é esperar a abertura do São João e se divertir com os amigos”, falou Renata Ribeiro, visitante, que reside em Senhor do Bonfim.

ASCOM – Prefeitura de Jaguarari

Continue Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2019 - Criado por PrecisoCriar | www.precisocriar.com.br