Conecte-se conosco

Vida e Estilo

Rejuvenescimento íntimo ou vaginal vira a nova obsessão das mulheres

Publicado

em

Rejuvenescimento íntimo: a técnica da vez – Divulgação

Não se trata de reconstrução de hímen. O tratamento estético da vez, que vem sendo chamado de rejuvenescimento íntimo, nem se preocupa com a película sempre atrelada à virgindade. Em termos de aparência, ele pode diminuir o monte pubiano, atuar na flacidez dos grandes lábios e clarear a região como um todo. De quebra, promete aumentar o prazer da mulher na relação sexual.

– Este tipo de procedimento era algo muito restrito às atrizes pornôs. Mas desde que o brazilian wax (depilação à brasileira) começou a fazer sucesso no mundo, a mulher começou a olhar mais para a própria vulva. Fora que hoje ela é jovem e sexualmente ativa por muito mais tempo e percebe que essa região também envelhece e revela a idade – afirma a ginecologista Viviane Monteiro, da clínica da All Clinik.

Por meio de um laser, a médica consegue estimular a produção de colágeno, promovendo a sustentação da pele e o aumento da vascularização local. Em resposta ao estímulo, acontece o estreitamento do canal vaginal, gerando mais atrito e sensibilidade durante o sexo.

Foi o que sentiu a médica Amanda, de 36 anos, que fez o rejuvenescimento após ter dois partos normais:

– Me dá mais prazer na relação. Esteticamente melhorou muito: tinha uma cicatriz do parto e flacidez. Depois do laser, a cor pareceu mais como era antes da gravidez – conta ela, que é bailarina nas horas vagas e procurou o tratamento porque sentia que a bexiga pesava durante a execução dos exercícios, molhando a calcinha.

Para a empresária Marcela, de 43 anos, casada há 25, o rejuvenescimento funciona como um “botox”:

– Com a idade, você perde colágeno não só no rosto, mas em todo o corpo. Como consequência, você está rindo, e tem um pequena incontinência. Não podia gargalhar, pular. Isso aos 40 e pouco… De bônus, o tratamento deu um gás na relação: – Nunca exagerei na depilação. Sempre disse para a depiladora que não era para ser capa da “Playboy”. O tratamento fez isso também, revelou minha vagina. Já na segunda sessão, meu marido ficou curioso, percebeu a diferença, ficou animado…

Chloë Sevigny em foto para a “Marfa Journal’s” – Divulgação / MARFA JOURNAL/BRIANNA CAPOZZI

Quando o tratamento é estético (o laser também é usado para questões funcionais, como essas pequenas incontinências urinárias), pode ser associado a procedimentos como o preenchimento dos grandes lábios vaginais e os peelings superficiais, que fazem o clareamento da região.

– Em geral, é algo indolor, e são recomendadas de três a cinco sessões, com intervalos mensais, e uma anual, para manutenção. Já no dia seguinte, é possível voltar a praticar atividades físicas. Sexo só depois de uma semana – explica Viviane.

Além dos tratamentos com laser, em 2016, a cirurgia plástica vaginal correspondeu a 1,7% dos procedimentos realizados pelos cirurgiões plásticos no Brasil. Pode parecer pouco, mas no total, foram mais de 25 mil pacientes que se submeteram à técnica. Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), o Brasil é líder nesta cirurgia, realizando quase o dobro do que foi feito no país que mais faz plásticas no mundo, os Estados Unidos.

Segundo o médico Rodrigo Itocazo Rocha, regente do Capítulo de Cirurgia da Genitália e Intersexo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a busca por intervenções funcionais e estéticas começou forte nos últimos cinco anos, sendo que, anteriormente, o campo de atuação era muito restrito a deformidades congênitas e traumatrismos.

– A procura aumentou principalmente por parte das mulheres que tomam hormônio na musculação e que acabam tendo hipertrofia do clitóris, que fica muito proeminete e incomoda na relação, e por mulheres que passam por cirurgias bariátricas e acabam tendo sobra de pele na região pubiana – diz ele, que hoje estima que 37% das pacientes procuram as cirurgias na vulva por motivos apenas estéticos, 30 a 31% por questões funcionais e o último terço pela combinação das duas coisas.

“The Vulva Gallery”: projeto da artista holandesa Hilde Atalanta – Reprodução Instagram

No caso da cirurgia, que movimenta tecidos e tira excesso de pele, é indicado, de acordo com Rodrigo, repouso relativo por duas semanas:

– É uma região bastante vascularizada, que tende a inchar bastante. Neste caso, sexo só depois de 4 a 6 semanas.

NOVOS PADRÕES

Para a antropóloga Mirian Goldenberg, autora de “Por que os homens preferem as mulheres mais velhas?”, da editora Record, a procura por tratamentos do tipo reflete um pânico feminino diante do envelhecimento, mas também revela uma fonte de poder:

– No Brasil, o corpo, principalmente para as mulheres, é o verdadeiro capital, um lugar onde elas investem tempo, dinheiro, preocupação. Mas não é um corpo qualquer: é um corpo magro, jovem, bonito, em forma. Mesmo mulheres que estão em profissões que não precisam desse cuidado são culturalmente obrigadas a investir nisso.

Na visão da pesquisadora, a busca pelo melhor aspecto da vagina mostra ainda uma mudança cultural em relação à sexualidade feminina:

– A vagina era uma área invisível para as mulheres. Quando ela passou a exergar e pôde achar que não era bonita dentro deste modelo de corpo, passou a querer transformar, assim como ela pinta o cabelo. Por que ela vai descuidar de uma parte que também pode ficar mais bonita? – questiona Mirian, que acredita que as mulheres buscam mais a transformação para si do que para agradar aos parceiros: – Fiz uma pesquisa com mulheres que fizeram plástica, e a maioria dizia que fazia para si e não para o outro. Elas se sentem muito mais poderosas porque podem ter o corpo que sempre desejaram e, principalmente, podem fazer o que querem com o próprio corpo.

– Meu marido não é muito atento. Acho que eu senti mais do que ele a diferença em termos de sensibilidade – confirma Amanda.

Há, no entanto, quem defenda que, por trás da busca por esses procedimentos, estão padrões de beleza que oprimem o sexo feminino. Para encorajar mulheres a se olharem, se conhecerem e se gostarem, as designers Karen e Kelly se uniram em um projeto que cola desenhos e fotos de vaginas, numa estética lambe-lambe, pelos muros de São Paulo.

– A inspiração foi a personagem “Clódia” – de “Contos de Escárnio”, da escritora Hilda Hilst – uma artista plástica obcecada por desenhar bucetas. Motivada pelo conto, me propus a também desenhar bucetas e não consegui, primeiro porque não tinha repertório nem referências de como criar essas representações, depois porque a simples ideia de desenhá-las me despertava sentimentos angustiantes, dentre eles vergonha e nojo – afirma Kelly.

Mural no festival underground resistence frente feminista

Para Karen, a decisão de modificar o corpo é pessoal, mas “ter clareza do por que se está fazendo esse tipo de procedimento é importante”:

– Sabemos que há um ideal de mulher, em sua maioria branca, magra e jovem, reflexo de uma construção machista. A representatividade plural de mulheres de diversas raças, corpos e idades é uma questão latente.

Mostrar essa diversidade também é o objetivo da artista holandesa Hilde Atalanta, que criou o projeto “The Vulva Gallery” para reuniur inúmeras ilustrações de vulvas e, assim, tentar aliviar a pressão que as mulheres sofrem acerca do próprio corpo. O escultor Jamie McCartney foi outro que já chamou a atenção para o assunto com sua obra The Great Wall of Vagina (O Grande Muro de Vaginas), que foi exposta em Londres. Durante quatro anos, o artista inglês realizou moldes em gesso de órgãos genitais de 400 mulheres para chamar atenção para consequências derivadas do abuso da pornografia e da plástica vaginal.

O Grande Muro de Vaginas, do escultor Jamie McCartney – Reprodução

Alheias às discussões feministas, as marcas de beleza surfam na onda deste novo mercado que se tornou a vagina. A dinamarquesa ‘The Perfect V’ lançou uma linha de produtos chamada “VV cream”, que promete deixar a área iluminada, aveludada e firme: são cremes, séruns, esfoliantes, tônicos. O carro-chefe da marca é um iluminador transparente, que funciona mesmo como uma maquiagem clarendo e minimizando imperfeições, além de dar um brilho extra para a área. Os preços do e-commerce são a partir de US$ 21. Outro produto que ganhou destaque nas revistas de beleza foi o Fur Oil: um óleo composto de nove ingredientes – entre eles semente de uva, sálvia esclareia e jojoba – dedicado a cuidar dos pelos pubianos e que também deu origem a uma linha de produtos como cremes para a área.

Iluminador vaginal – Divulgação

Para quem quer brilhar ainda mais na hora do sexo foi criada uma pílula de glitter, comercializada com o nome de “passion dust” (poeira da paixão), que tem como função espalhar purpurina durante a penetração. A ideia de transformar a performance em um grande desfile de carnaval, contudo, pode render infecções, alertam ginecologistas.

OGLOBO

Continue Lendo
Clique para comentar

Noticias

Exclusivo: Volkswagen Virtus iguala Polo e recebe nota máxima de segurança no Latin Ncap

Publicado

em

DESEMPENHO DO VW POLO NO TESTE DE COLISÃO DIANTEIRO E CONTRA POSTE FOI UTILIZADO PARA PONTUAR O VIRTUS

Como era de se esperar, o Volkswagen Virtus fez a lição de casa e manteve o bom desempenho em segurança do Polo, sua versão hatch. O modelo conquistou cinco estrelas na proteção a adultos e cinco na de crianças, além do selo Latin NCAP Advanced Award, que reconhece carros que minimizam as lesões a pedestres em caso de atropelamento. Os dados fazem parte do relatório do Latin NCAP que será divulgado amanhã, mas que nós da Autoesporte já tivemos acesso.

Um detalhe nesse teste chama atenção. Dessa vez, o Latin NCAP considerou desnecessário testar uma unidade do Virtus para as simulações de acidente dianteiro e contra um poste. O sedã foi utilizado apenas para simular um acidente de colisão lateral contra outro carro. Isso porque o Virtus é, na prática, derivado do Polo.

DETALHE DO MATERIAL DE DIVULGAÇÃO COM A NOTA DE CRASH TEST DO VIRTUS FEITO PELO LATIN NCAP (FOTO: REPRODUÇÃO)

Sem saber do caso específico do Virtus, o engenheiro mecânico e conselheiro da SAE Brasil Francisco Satkunas, confirmou, em entrevista à Autoesporte, que atualmente é possível fazer esse tipo de análise, inclusive com testes virtuais. “Eu diria, em primeira análise, que a diferença do sedã pro hatch em carros da mesma plataforma é apenas a massa adicional na traseira, por conta do porta-malas. Através da análise virtual, é possível analisar quais reforços são necessários para absorver a energia do acidente. Mas, isso não isenta de fazer o crash test físico propriamente dito”, diz Satkunas.

Na proteção a adultos, o carro conquistou 32.56 pontos em uma escala que vai a 34. Já na segurança de crianças foram 43 pontos de 49 possíveis. Mas, o que garantiu ao Virtus as cinco estrelas de segurança foi o bom desempenho no teste que simula um acidente lateral. Nesse, dos 16 pontos possíveis o carro conquistou 15,88, mesmo índice dos testes frontais. Já na proteção a crianças, o Virtus somou 22 pontos de 24 possíveis.

Assim como o Polo, o Virtus testado tem quatro airbags. Há, ainda, sistema Isofix de fixação de cadeirinhas.

EXCLUSIVO: VOLKSWAGEN VIRTUS REPETE POLO E TEM NOTA MÁXIMA DE SEGURANÇA NO LATIN NCAP (FOTO: REPRODUÇÃO)

A estrutura do carro foi considerada estável pelo Latin NCAP, o que garantiu poucas lesões em todas as partes do corpo do motorista e do passageiro dianteiro. No teste de colisão frontal, apenas parte das pernas dos dois ocupantes e o tórax do motorista tiveram proteção ligeiramente inferior, classificada como “adequada”. Já na simulação de acidente lateral, o tórax dos dois passageiros teve proteção “adequada”, enquanto todo o restante do corpo teve proteção máxima.

O Volkswagen Virtus foi lançado nesta segunda-feira (22) e Autoesporte publicará todas as informações sobre o carro nas próximas horas.

*revistaautoesporte

Continue Lendo

Noticias

Ford abre pré-venda do Mustang por R$ 299.900

Publicado

em

A Ford abriu nesta segunda-feira (11) a pré-venda do Mustang. Ele custará R$ 299.900 , e as entregas começam em março do ano que vem. Os interessados deverão dar 10% (R$ 29.990) como sinal. Por enquanto, o esportivo será oferecido em versão única, GT Premium, com carroceria cupê e motor V8 5.0 de 466 cavalos. O câmbio é automático de 10 marchas. O modelo será o principal rival do Chevrolet Camaro que custa a partir de R$ 310 mil, na versão cupê, e R$ 343 mil, na opção conversível.

G1

Continue Lendo

Noticias

FIAT CRONOS: CONFIRA O VISUAL DO SEDÃ DO ARGO

Publicado

em

Fiat segue na luta para tentar atualizar a linha de carros que oferece atualmente aos seus clientes. Defasada, recebeu nos últimos tempos apenas Toro Argo que representam alguma real novidade em termos de tecnologia e visual. Mas, até fevereiro, a montadora vai concluir seu terceiro movimento nesse jogo: lançará no mercado brasileiro o Cronos, a versão sedã do Argo.

Apesar de o modelo ter sido batizado em referência ao deus do tempo na mitologia grega, parece que ele não foi muito fiel às suas origens. Isso porque as primeiras imagens do modelo surgiram na internet horas antes do previsto pela própria montadora e você as confere nesta página.

A data de lançamento não é por acaso e coincidirá com a chegada às lojas de seu principal rival: o recém-apresentado Volkswagen Virtus. Preços ainda são mistério, mas apostamos que a versão básica ficará na casa dos R$ 55 mil, enquanto a topo de linha vai beirar os R$ 70 mil. Confira o que esperar em termos de espaço interno, motorização e, claro, o visual.

Visual

As imagens que ilustram esta nota são as primeiras a serem divulgadas oficialmente pela Fiat sem qualquer tipo de artíficio para esconder as linhas do sedã. Apesar da grande semelhança com o Argo, fica claro que a montadora fez alguns retrabalhos para diferenciar o visual dos dois modelos. É o caso, por exemplo, do para-choque dianteiro inédito, que abre mão das entradas de ar laterais e dos faróis de neblina centralizados do hatch.

Já a grade dianteira mistura frisos cromados com peças em preto brilhante, numa clara tentativa de dar um ar ligeiramente mais refinado ao sedã. É um contraponto aos detalhes coloridos que a versão mais esportiva do Argo tem exatamente para reforçar o aspecto de carro jovem. Já na traseira, as lanternas de LED são mais angulosas, enquanto as luzes de neblina têm desenho mais discreto.

Tamanho

O sedã terá entre-eixos na casa dos 2,60 m, ou 8 centímetros a mais do que o irmão menor. Por conta disso, o perfil do carro é diferente a partir da coluna central, já que as portas traseiras tiveram que ser redesenhadas. O porta-malas promete ultrapassar os 500 litros de capacidade total de carga.

A Fiat afirma que o Cronos é baseado na nova plataforma MP-S, modular platform sedan, variante concebida para o modelo. O três volumes foi projetado ao mesmo tempo que o hatch, então a solução para o porta-malas destacado ficou muito bem integrada ao desenho.

Motorização

Ser maior também tornará o Cronos mais pesado, por isso o motor 1.0 aspirado foi descartado. A versão de entrada Drive deve pesar cerca de 1.200 kg, então será equipada com motor 1.3 de 109 cv e 14,2 kgfm com câmbio manual ou automatizado GSR, sempre com cinco marchas

Já a configuração Precision será a mais cara e terá motor 1.8 E.torQ VIS de 139 cv e 19,3 kgfm a 3.750 rpm. O câmbio poderá ser manual de cinco marchas ou automático de seis. Nada de configuração HGT, disponível no Argo.

A Fiat afirma que o lançamento está previsto para o primeiro trimestre e que o Cronos disputará o segundo maior segmento de carros do Brasil, o de sedãs compactos, que deverá absorver em 2017 330 mil carros no Brasil e quase 100 mil na Argentina. 

Via: revistaautoesporte

Continue Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2019 - Criado por PrecisoCriar | www.precisocriar.com.br