novembro 17, 2018 6:03 am
Home / Noticia do Interior / Andorinha / Representantes do Comércio se uniram aos vereadores em busca de segurança para Andorinha

Representantes do Comércio se uniram aos vereadores em busca de segurança para Andorinha

Diante do clima de insegurança vivido no município de Andorinha nos últimos dias, por conta dos assaltos e furtos registrados na sede e zona rural, na última quinta feira (26), dezenas de comerciantes foram até a câmara municipal cobrar providências.

O presidente da casa, Marinaldo de Oliveira, reunido com os demais vereadores, decidiu suspender a pauta da sessão, e optaram em ouvir os comerciantes e representantes da Associação Comercial e Conselho de Segurança.

Depois de ouvirem os comerciantes, os vereadores fizeram uso da palavra reafirmando apoio à população.

O líder do governo, Neguinho do Gregório, explicou que na cidade tem apenas três policiais para tomar conta de uma população de quase 15 mil pessoas “já cobramos aumento do efetivo policial é uma viatura para a polícia e até agora o governo da Bahia não nos atendeu” disse Neguinho.

O vereador também afirmou que em nenhum momento foi contra a criação da Guarda Municipal “saiu no blog do Ivansilvanoticia que eu tinha sido contra a guarda municipal, quero dizer que votei a favor, peço que ele retifique” pediu Neguinho do Gregório.

Diante dos Comerciantes, o vereador Pega Bala, lembrou a realização da audiência pública realizada pela câmara para se discutir a segurança pública, e lamentou que os comerciantes na época não participaram, foi registrado a apenas a presença de três comerciantes.

Ele afirmou que os assaltos não estão acontecendo apenas na sede, na zona rural o povo também é refém dos bandidos, “informações que para o governo do estado, Andorinha é uma cidade tranqüila, porque acontecem assaltos e furtos e o povo não procura a polícia para registro de ocorrência, enquanto isso a zona rural também é refém dos bandidos” lembrou Pega Bala.

Ainda durante a sessão foi sugerido que ficasse proibido motoqueiro fazer uso de capacete quando estivesse circulando no centro comercial, mas a sugestão não foi adiante por conta da legislação de trânsito.

O vereador Nilton Matos, parabenizou a presença dos comerciantes, e pediu que o povo participasse mais das sessões, porque segundo ele, se o povo não participar,  o assunto segurança pública na próxima sessão já não será mais lembrado. O vereador ainda disse para os presentes, que a câmara já aprovou um requerimento e uma indicação cobrando do prefeito a implantação da guarda, mas até agora nenhuma providência foi tomada pelo gestor “a primeira cobrança feita pela vereadora Lurdinha foi em 2017, e até hoje não tivemos resposta do prefeito” criticou Nilton Mato, que ainda pediu ao povo que não votasse no governador.

Chateado porque o prefeito havia se reunido com polícias da Caatinga e não convidou o poder Legislativo e membros do Comércio, o vereador Ancelmo Enfermeiro aproveitou para desabafar “a segurança de Andorinha nessa situação, o prefeito se reuniu com policiais da Caatinga e não convidou ninguém, aí fica o povo na rua perguntando o que foi resolvido na reunião e os vereadores sem saber de nada, ele poderia ter convidado a Associação Comercial, o Conselho de Segurança e os vereadores” criticou Ancelmo.

O vereador ainda sugeriu que o comando da PM aumentasse o efetivo pelo menos nos dias de feira.

Por conta das audiências que já aconteceram na Câmara para discutir  segurança  pública sem nenhuma providência, o vereador Irmão Ednaldo disse que espera que as cobranças saiam do papel “nos aqui estamos preocupados com a segurança pública, já aprovamos aqui requerimento e indicação cobrando a guarda municipal, mas infelizmente as coisas não são como nós queremos” lamentou.

O vereador também relatou que já enviou ofícios cobrando audiência com o Secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, reivindicando viatura, Escrivão, delegado, e o aumento do efetivo da polícia.

Responsável pelo primeiro documento, cobrando do prefeito Renato Brandão a criação da Guarda Municipal, a vereador Lurdinha leu o documento que foi enviado ao Prefeito, e afirmou que Andorinha está vivendo clima de horror “essa violência nunca foi vista no município de Andorinha, a culpa é do governo federal e estadual que não estão fazendo sua parte. Informações que o governo do estado pensa que Andorinha é uma cidade tranqüila, porque o povo não procura a delegacia para registrar os furtos e assaltos” disse a vereadora.

Afirmando que as mudanças são feitas com mobilizações e a presença do povo, o vereador Vagner Lavor, fez um balanço das ações que aconteceram na Câmara onde segurança pública foi o principal assunto da pauta. O vereador lembrou que por duas vezes a câmara cobrou do prefeito que enviasse projeto criando a Guarda Civil Municipal, mas até agora, depois de se passarem mais de dez meses, o executivo não se manifestou.

Lamentando a ausência do representante do poder executivo na sessão, o vereador Agnaldo Pinheiro afirmou que recebeu a informação do delegado Atilho, que em número de ocorrências Andorinha superou Itiúba que é um município maior que Andorinha “essa conversa que o povo de Andorinha não procura a delegacia para registrar queixa não procede. Porque estive conversando com o delegado e o próprio disse que as ocorrências de Andorinha superam as de Itiúba, na verdade, o que está acontecendo  em Andorinha é morosidade do governo municipal em resolver o problema da segurança, uma reunião importante como essa, e nenhum secretário do prefeito está presente” lamentou Aguinaldo.

O vereador ainda denunciou que a polícia não faz ronda na zona rural porque não tem gasolina, e o governo municipal não colabora.

No final dos debates, o presidente da Câmara, Marinaldo de Oliveira, lamentou o fato da prefeitura não ter sido convidada para participar da reunião, e sugeriu que outra fosse marcada com a participação do executivo, e que um documento fosse elaborado para ser entregue às autoridades “precisamos realizar uma reunião, formar uma comissão com o legislativo, executivo, conselho de segurança e Associação Comercial. Temos que entregar um documento ao Comandante da Regional Norte, Ancelmo Bispo, ao Coordenador da Polícia Civil, Dr Felipe Nery, ao comandante do batalhão de Senhor do Bonfim, e temos que ir a Salvador conversar com o Secretário Maurício Barbosa” explicou o presidente.

O vereador lembrou que audiência pública não adianta mais “já realizamos duas e nada aconteceu, vamos também formar uma comissão, e aproveitar a visita que o governador fará a Senhor a Senhor do Bonfim e entregar o documento em mãos, porque não podemos ficar reféns dos bandidos” disse Marinaldo.

Depois que a reunião aconteceu, uma equipe da Cipe Caatinga começou  na sexta-feira (27), a fazer ronda na sede e interior do município.

Você pode Gostar de:

Grande quantidade de poços artesianos pode deixar interior de Campo Formoso sem água

O biólogo Rangel Carvalho de Campo Formoso, está realizando um estudo sobre os recursos hídricos …