Conecte-se conosco

Noticias

Beber de barriga vazia para não engordar é novo tipo de transtorno alimentar

Publicado

em

Dietas de contagem de calorias são apontadas como parcialmente responsáveis pleo problema, já que um copo de cerveja pode ter tantas calorias quanto uma fatia de pizza – AFP/SCOTT OLSON

Jovens mulheres estão pulando refeições e reduzindo drasticamente a ingestão de calorias dos alimentos, deixando para ingeri-las como álcool. Esse comportamento é conhecido coloquialmente como “drunkorexia”, mas ainda não é um distúrbio alimentar clinicamente reconhecido, apesar de imitar tendências anoréxicas. Embora ocorra em ambos os sexos, prevalece em mulheres jovens. Um estudo divulgado no ano passado na revista “Australian Psychologist” revelou que quase 60% das estudantes de graduação em países ricos exibem tendências “drunkoréxicas”.

O álcool é demonizado pela indústria da dieta por seus conteúdos caloríficos. Segundo a revista “Drinkaware”, um copo de cerveja com 400ml, em média, tem 197 calorias, o equivalente a uma fatia de pizza, enquanto uma taça de vinho pode conter tantas calorias quanto um sorvete.

— Eu costumava pular refeições na universidade para não ficar inchada à noite — explica uma mulher de 23 anos que não quis se identificar e agora é uma personal trainer. — Definitivamente é (uma prática) comum, muitos dos meus clientes me perguntam se deveriam perder o jantar para compensar o que planejam beber.

Para a blogueira britânica Ellie McKinnell, a “drunkorexia” é resultado da pressão sobre as mulheres jovens quanto ao consumo de álcool e sua imagem corporal.

— Se você janta fora de casa ou vai a um bar, espera-se que você beba — conta. — O álcool contém muitas calorias vazias, mas ainda assim existe a expectativa de que sejamos magras.

A troca da comida pela bebida, porém, não afeta apenas as jovens. Segundo a nutricionista Rhiannon Lambert, especialista em transtornos alimentares, este comportamento é sistêmico na cultura contemporânea e, muitas vezes, está relacionado a uma dieta ioiô, onde a perda de peso é logo seguida por sua retomada.

Para Lambert, as dietas restritivas, muitas vezes baseadas na contagem de calorias, são parcialmente responsáveis pela “drunkorexia”. Como não se trata de uma enfermidade reconhecida pela medicina, ainda não existe uma definição oficial sobre este fenômeno.

Além de pular refeições antes de beber, os sintomas podem incluir compulsão alimentar durante a bebedeira e posteriormente adotar práticas para “livrar” o corpo das calorias adicionais. A nutricionista revela que já lidou com pacientes anoréxicos que exibiram tendência de abuso de álcool. Esta combinação pode ser “extremamente perigosa” para a saúde mental e física.

— Essas situações devem envolver o atendimento hospitalar e uma equipe de profissionais de saúde para apoio do doente paciente — recomenda. — Quem tem essa mentalidade de restrição e compulsão alimentar deve procurar ajuda.

Assessora médica da Drinkaware, Sarah Davis alerta que beber com o estômago vazio não é saudável:

— Morrer de fome para beber em excesso em um curto período de tempo pode causar intoxicação aguda por álcool, levando a confusão, vômitos e desmaios. O paciente pode colocar-se em risco de danos crônicos à saúde, como doenças hepáticas e cardíacas, que se manifestam a longo prazo. Também é mais provável que você fique sem vitaminas e minerais vitais se cortar a ingestão de alimentos, já que o álcool não tem valor nutricional.

OGLOBO

Continue Lendo
Clique para comentar

Noticias

Espaço Supermercados Pague Menos

Publicado

em

Continue Lendo

Jaguarari

Prefeitura de Jaguarari levará a Santa Rosa a 2ª edição do Programa Prefeitura nas Comunidades

Publicado

em

A prefeitura de Jaguarari, através de suas secretarias de governo, irá levar para o distrito de Santa Rosa de Lima, nesta sexta-feira (14), o Programa Prefeitura nas Comunidades. A ida desse programa ao distrito possibilitará atender a várias demandas dos moradores do local e adjacências. Durante a ação, os moradores terão acesso a diversos serviços oferecidos pela gestão municipal.

  • Secretaria de Saúde – exames laboratoriais, avaliação com fisioterapeuta, avaliação com nutricionista, testes rápidos para DST com orientações para prevenção dessas doenças e distribuição de preservativos, teste de glicemia, aferição de pressão.
  • Secretaria de Assistência Social – atendimento e atualização cadastral do programa Bolsa Família, orientação psicossocial com equipe do CRAS e CREAS, concessão de Carteira do Idoso e Passe Livre, Requerimento de beneficio eventual de cesta básica, encaminhamento de segunda via de documentos pessoais, brincadeiras e atividades lúdicas com orientadores sociais, Cadastro de gestantes para o Primeira Infância no SUAS e campanha de enfrentamento ao trabalho infantil nas escolas.
  • Secretaria de Agricultura – cadastramento de títulos de terra, um técnico estará realizando a renovação de DAP’s, abastecimento de água através de pipa e emissão de Guia de Trânsito Animal – GTA.
  • Secretaria de Educação – levará para Santa Rosa a Caravana da Educação, que promoverá uma grande Mostra Cultural, garantindo a população muita diversão e cultura através de Cinema na praça, Karaokê, Roda de Capoeira, Fanfarra e Programa de Nutrição.
  • Secretaria de Meio Ambiente – realizará doação de mudas das seguintes espécies nativas: Paineira (barriguda) Angico de Bezerro, Caraibeira, Aroeira, Baraúna, Espinheira Santa, Pereiro, entre outros.

A Secretaria de Administração realizou um grande mutirão de limpeza executando serviços de varrição, pintura de meio fio e manutenção da iluminação publica.

A Secretaria de Infraestrutura promoveu a revitalização de toda praça central do distrito e recuperação do mercado da feira livre.

ASCOM – Prefeitura de Jaguarari

Continue Lendo

Noticias

ACESB – Associação de Espadeiros de Sr. do Bonfim continua na luta

Publicado

em

“Na verdade, estão se informando do que não foi apostado. Na verdade, o STJ nem entrou no mérito da ação, até amanhã nova ação deve ser apresentada”, Pezão

Ações da ACESB,Bom dia, a população de modo geral, só para que possamos ter a dimensão do que vem sendo feito. A priori, estamos com três frentes de atuação. Não, a guerra não foi liberada, ainda tem validade a sentença liminar interlocutório, mesmo com todos os problemas que encontramos nela, que então sendo contestadas nos âmbitos corretos. Não podemos cair no medo de perseguição, desse ambiente persecutório, que alguns pretendem de toda forma construir. Nossa atuação está sendo clara. A questão não é penal, não é criminal, não podemos aceitar a definição de que somos criminosos, não existe tipificação penal que enquadre a espadas, e a utilização do art. 16 in malam partem é  um absurdo. Bem como não existe competência para primeira estância declarar inconstitucionalidade in abstrato.
Em tempo, reitero que o Município tem prerrogativa legal para definir o que é Patrimônio Cultural Imaterial no âmbito de seu território. Mas a sentença proferida em Bonfim ainda é válida, o que nos impede da realizar da nossa festa, mesmo que uma grande injustiça.
O que foi noticiado ontem é algo fabuloso, sim, é importantíssimo, sim. Porque pela primeira vez, temos um laudo técnico construído por metodologia cientifica, validado por ensaios controlados, que afirmam após analise química e física que a espada não é arma de fogo e muito menos é um artefato explosivo.
Nosso entendimento é que não se trata de questão judicial, mas sim administrativa junto ao Exército Brasileiro, a definição e categorização da espada como Artefato pirotécnico, e posterior autorização para o fábrico. Sendo assim, já possuímos, depois de árduo trabalho, de análise preliminar do artefato, agora iremos a nova fase.
No que concerne ao processo de reconhecimento da manifestação cultural “guerra de espadas” como Patrimônio Cultural do Estado demos início.  O Município de Senhor do Bonfim deu entrada junto ao Supremo Tribunal de Justiça ( STJ) uma solicitação para ver a decisão interlocutória de primeira instância.
Estamos aos poucos caminhando para a regulamentação da prática. Reitero  que se houvesse o mesmo impeto por parte de algumas instituições em nos ajudar nesse processo de regulamentação ao invés de nos criminalizar, certamente, já estaríamos mais próximos do objeto que é termos a garantia de exercer nossos direitos culturais em segurança.

Continue Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2019 - Criado por PrecisoCriar | www.precisocriar.com.br